segunda-feira, 2 de junho de 2014

[Resenha] O menino do pijama listrado

Autor: John Boyne
Editora: Cia das Letras
Páginas: 186
Sinopse: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz idéia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

   O livro se passa nos campos de concentração da Polônia durante a 2ª guerra mundial e conta a história de Bruno, filho de um comandante nazista, e Shmuel, um garoto judeu. Bruno é o filho mais novo e sua irmã, Gretel, vive implicando com o menino. Certo dia Bruno chega na sua casa, em Berlim, e encontra a criada empacotando suas coisas, ao interrogar a mãe sobre aquilo descobre que seu pai foi promovido e eles terão que deixar sua confortável casa. No início Bruno é totalmente contra essa mudança, e deixa a Alemanha revoltado. Na inocência da infância, ele não faz a mínima ideia do que anda acontecendo no mundo e nem o caos causado contra os judeus. 
   Da janela do seu novo quarto, o menino consegue enxergar os campos de concentração mas não entende o que são. Entendiado, o menino resolve explorar os arredores e acaba encontrando do outro lado da cerca um novo amigo, o judeu Shmuel. Eles logo se tornam amigos e parecem não entender os perigos que cercam essa amizade. 
    
   Eu vi o filme antes de ler o livro, então já sabia o final e já havia chorado horrores (hahaha). Mas eu sempre quis muito ler esse livro e apesar do final dos dois destoar um pouquinho, eu amei. Retrata muito bem os horrores da grande guerra e todo o ambiente obscuro. 
   É um livro cercado de amizade verdadeira e a doce inocência da infância. É muito bem escrito e com uma capa que fala por si mesma. 
    Vejam o trailler: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário