quinta-feira, 3 de julho de 2014

[Resenha] Liberta-me

Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 444

ATENÇÃO: ESTA RESENHA E A SINOPSE PODE CONTER SPOILERS DO PRIMEIRO LIVRO, ESTILHAÇA-ME (resenha de Estilhaça-me aqui).

Sinopse: Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette.

Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor. A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.

"Há momentos em que é preciso decidir-se"

Liberta-me é o segundo livro da trilogia Estilhaça-me, de Tahereh Mafi, que conta a história de Juliette, uma garota com um toque letal dom.

No segundo livro, Juliette e Adam estão abrigados no Ponto Ômega, que é um local subterrâneo onde pessoas com habilidades especiais treinam e se organizam para uma batalha contra o Reestabelecimento, para tira-los do poder.

Só que a convivência com tantas pessoas da medo em Juliette, já que com apenas um toque ela pode matar uma pessoa. Ela irá receber ajuda de Castle e principalmente de Kenji que iram ajuda-la nessa questão e, estarão sempre a seu lado para ajuda-lá a controlar e entender a sua habilidade.

Ao longo da história, Juliette irá se reencontrar com Warner, e a partir dai, ela ficará cada vez mais confusa em questão de seus sentimentos. Segredos iram ser revelados e até um triangulo amoroso será formado.

Mas, isso não é nada, Juliette terá que lutar, e deixar de pensar apenas nela, pois o mundo está em guerra, e precisará decidir-se ao lado de quem lutar.

"Deve ser ótimo passar a vida com tanta confiança." - Página 315

Em Liberta-me, Juliette continua com seus medos, suas angustias e duvidas, mas tudo me surpreende durante toda a história, é assim que eu gosto.

Não é novidade que eu tenha gostado do livro, fiquei super fã da história já no primeiro livro e agora no segundo, isso só aumentou, preciso urgente do terceiro. O livro tem muito romance, mas a história não fica presa nisso, o que não te deixa com tédio, tem muita ação, conflitos e suspense.

Um personagem que eu gosto muito, é o Kenji, e merece destaque, ele é inteligente, engraçado, sincero e sempre está disposto a ajudar Juliette, ele se torna um grande amigo da mesma. Já Warner, surpreende todo mundo, fiquei de queixo caído em vários momentos, e como eu disse na primeira resenha, eu odiei, amei, odiei e amei ele de novo.

Tahereh, faz você viver a história de Juliette e te faz ficar presa a história, quando acabou eu achei que eu iria ficar com depressão, o final me surpreendeu, e quem lê minhas resenhas, sabe o quanto eu gosto disso em um livro. E eu estou intrigada com alguns fatos, que eu espero que seja revelado no terceiro livro.

Recomendo, e recomendo muito, uma unica crítica negativa que eu vou dar ao livro é referente a capa, que é, na minha opinião, muito feia, sinceramente não gostei, não chega nem aos pés da capa do primeiro livro. Fora isso, não tenho outras críticas negativas. Vou tirar pontos só por causa da capa. Então:

Nota: 9,5/10

Nenhum comentário:

Postar um comentário