quinta-feira, 4 de agosto de 2016

[Resenha] Nildrien - O Pergaminho


Autor: Manoel Batista
Páginas: 586
Editora: Talentos da Literatura Brasileira - Novo Século

Sinopse: Em um mundo de fantasia medieval, o despertar de uma poderosa energia em uma caverna milenar e remota faz com que os mais poderosos reinos de Nildrien se mobilizem para conseguir o artefato portador do poder: um antigo pergaminho criado pelo maior de todos os magos, contendo feitiços capazes de afetar o equilíbrio mundial. Sem poder enviar seus mais experientes e poderosos membros, resta às forças de reinos aliados formarem um grupo de jovens aventureiros para enviá-los ao maior desafio de suas vidas: uma aventura entre guerreiros, magos e monstros que dividem um cenário onde o fantástico e a magia se mostram mais presentes do que nunca. Uma jornada que mudará para sempre a vida desses jovens, repleta de drama, ação e humor.


"[..]Eram criaturas inteligentes e malévolas ao extremo. E, se sobrevivessem tempo suficiente para contar que se encontraram com um na Floresta das Sombras, seriam dignos de terem canções pelos bardos em seu nome.[...]"

Há um agitação anormal na Antiga Caverna, uma caverna que foi esconderijo do maior mago de toda Nildrien. Por toda a sua extensão pode ser sentindo uma poderosa energia. Isso começou quando um grupo de mineradores acharam a fonte desse poder. Agora, os mais poderosos reinos de Nildrien estão atrás de um artefato criado pelo mago que se escondeu nas profundezas da caverna, um pergaminho.

Nalim e Skyllus se uniram para impedir que o Asenhar, o reino das trevas, chegue primeiro a esse pergaminho. Para isso, Nalim convoca uma expedição a Caverna Antiga e reúne um grupo de 15 pessoas. Este grupo será liderado pelo nobre meio-elfo mago, Damian e terá como membros, a maga feiticeira, princesa da Luz, Lóri e suas duas acompanhantes, Karedrine, a clériga do amor e Myat, a maga da Luz; o meio-dragão Reks, discípulo de Haoru Tunhak (um dos maiores heróis do mundo na última grande guerra contra Asenhar); o paladino da Luz, Kylet e suas protegidas, Ylis a clériga da paz e Verônica a clériga da Luz; Hanns, o meio-demônio guerreiro do gelo; a guerreira e oficial da guarda do reino de Nalim, Mistia; o meio-demônio paladino da justiça, Hant; os lutadores Mike e Histran; o guerreiro Karson e a maga, irmã de Damian, Marlin.

Eles partem juntos em direção a Caverna Antiga, uma aventura que será repleta de perigos e emoções. Poucos sabem os riscos que encontrarão nesta caminhada, mas estão dispostos a enfrentas grandes barreiras em nome de Nalim e Skyllus, para proteger Nildrien de um destino terrível caso este pergaminho caia em mãos erradas.

"- Sim, Mike, Você tem razão... É hora de afastar a escuridão de uma vez por todas."

Nildrien - O Pergaminho é um tipo de história que eu nunca esperava me envolver tanto. Primeiro pelo fato de ter tantos personagens envolvidos e eu fiz questão de colocar o nome dos 15 membros do grupo Nalim e Skyllus nesta resenha, porque eu me apaixonei por cada um deles, exceto por um, mas isso fica para quem decidir ler o livro. E segundo pelo tamanho da história.

O livro escrito por Manoel Batista é grande e quando vi as 586 páginas, eu dei uma assustada e fiquei com um pé atrás, não nego que a parte inicial da história é meio arrastada, mas isso é só no começo, antes do grupo partir rumo a expedição. Depois disso, é emoção e ação o tempo todo.

A cada capítulo o autor conta o que está acontecendo no grupo de Nalim e em um outro "grupo" que inda não citei aqui, deixarei para vocês descobrirem quem é no livro, e assim vai durante toda a história e a experiência foi bem interessante.

Durante a leitura, eu fui anotando pontos que fiquei com duvida e fui vendo se eu iria ter resposta ao longo das páginas, porque, sei lá, as vezes o autor pode esquecer de voltar a um fato que não foi solucionado, mas para a minha alegria o Manoel Batista respondeu todas as minhas duvidas, exceto por dois fatos, mas pelo que me pareceu, um desses vai ficar para uma continuação (se tiver) e outro, apesar de ter citado, me deixou com uma pulga atrás da orelha e eu acho que poderia ter sido mais explicado, mas sinceramente não é nada muito importante e não atrapalha em absolutamente nada.

Eu não consigo expressar com palavras o que eu senti lendo esse livro. Ele é cheio de emoções, eu senti a amizade do grupo de Nalim crescendo a medida que eles iam enfrentando os perigos, ficando mais fortes, fui me apaixonando pelo jeito de cada um, sentindo raiva de outros, senti medo por eles, em fim, é uma história que me envolveu muito e eu gostaria muito, muito, muito de uma continuação.

Eu só sou elogios para o autor e para essa história, fatos e batalhas muito bem descritas e detalhadas, realmente um livro muito instigante.
Esse livro me deu uma baita de uma ressaca literária, custei para  conseguir ler outro livro, até abandonei um que tentei ler depois dele.

Então, não resta duvidas quanto a nota, né?


Nota: 5/5 

Um comentário:

  1. Oi Nayara, nossa não conhecia o livro, já quero ler, acho que preciso dele, adorei
    Parabéns pela resenha e obrigada pela dica
    Bjokas

    ResponderExcluir